-- inicio ---

Saiba o que é e os tratamentos caseiros para fascite plantar


Como identificar fascite plantar

É melhor consultar um profissional experiente e especializado sempre que você sentir uma dor intensa ou constante na sola do pé.
Não se esqueça de registrar os sintomas para descrever de forma correta ao médico.
Eis algumas questões que podem ser colocadas pelo profissional:
  • Quando você começou a sentir os sintomas?
  • Eles são mais frequentes numa determinada altura do dia?
  • Você pratica exercício físico? Qual?
  • Você tem uma profissão que obriga a ficar em pé durante muito tempo?
  • Em que região você sente mais dor?
  • Existe algo que alivie ou piore os sintomas?

Como ocorre o diagnóstico

O médico traça um histórico do paciente e depois é feita uma avaliação física, que é capaz de revelar alguns dados relevantes sobre o pé, como:
  • Grau de sensibilidade existente na sola;
  • Existência de um pé chato ou cavo;
  • Ligeiro inchaço ou vermelhidão;
  • Nível de rigidez ou tensão no arco da sola.
Normalmente, não é preciso recorrer a análises adicionais. Porém, o raio-X, entre outros exames, é capaz de ajudar a despistar outros transtornos no pé.

Como tratar de uma fascite plantar

Habitualmente, esse tratamento é feito através de analgésicos, para a diminuição da dor, e anti-inflamatórios.
A fisioterapia tem igualmente um papel relevante, porque fortalece os músculos que se encontram danificados. Além disso, um fisioterapeuta pode explicar como praticar exercícios físicos sem pressionar em excesso a sola do pé.
De resto, é importante apostar em alongamentos, em um maior descanso e em um calçado mais apropriado.
Raramente é necessária uma intervenção cirúrgica: essa é apenas a última hipótese de tratamento.

3 remédios para a fascite plantar

Esses são os remédios mais utilizados:
1. Betatrinta;
2. Diprospan;
3. Duoflam.
Apenas um médico é capaz de indicar o medicamento mais adequado para cada caso, além da melhor dosagem e do tempo do tratamento. Essas orientações devem ser sempre seguidas: por isso, evite a automedicação.
Além disso, não pare de tomar um medicamento sem falar antes com o seu médico. Caso tome o remédio mais de uma vez ou em doses maiores do que aquelas que foram prescritas, obedeça às indicações que se encontram na bula.

3 dicas caseiras para uma recuperação eficiente

Eis alguns conselhos que podem ser adotados em casa para um tratamento exemplar:
1. Ponha gelo na zona com dor pelo menos duas vezes em 24 horas ao longo de 10-15 minutos – essa dica deve ser aplicada mais frequentemente nas primeiras 48 horas;
2. Recorra a palmilhas ortopédicas ou a pequenas almofadas feitas de feltro para colocar na região do tornozelo;
3. Utilize talas ao longo da noite para estender a fáscia que tem a lesão.

Complicações associadas à fascite plantar

Nunca se deve ignorar esse problema: caso contrário, é provável que ocorra uma dor crônica na região do calcanhar, que poderá prejudicar a qualidade de vida.
Além disso, evite mudar a forma de caminhar só para atenuar a dor da fascite: essa atitude irá causar distúrbios no pé, nos joelhos, no quadril e na coluna.

Expectativas associadas ao tratamento

Normalmente, as alternativas não cirúrgicas diminuem a dor e podem durar entre várias semanas a dois anos ou até os sinais de fascite plantar desaparecerem completamente.
A maior parte das pessoas melhora em 9 meses.

3 dicas de prevenção

Alguns conselhos relevantes para evitar a inflamação na fáscia plantar:
1. Mantenha um peso saudável;
2. Caso pratique atividades físicas que exijam bastante esforço dos pés, faça alongamentos antes e depois dessas atividades;
3. Assegure uma correta flexibilidade no tornozelo, no tendão de Aquiles e nos músculos que se encontram na panturrilha.

Nenhum comentário