-- inicio ---

Como parar de fumar: métodos, dicas e os benefícios de largar o vício


O tabaco já foi considerado uma planta medicinal, usada há milhares de anos. Aos poucos foi ganhando misturas com outros aditivos químicos para se tornar o popular cigarro. No último século, ele teve sua mais poderosa ascensão, simbolizando o poder e a sedução, e também está, atualmente, sofrendo a sua queda. Muitas pessoas estão se conscientizando que parar de fumar pode transformar suas vidas para melhor, em todos os sentidos.

6 Métodos e dicas para parar de fumar


A verdade é que cada pessoa precisa descobrir o que funciona melhor para si. Então, conheça os métodos e dicas mais recomendados e comece a fazer o teste com aqueles que acredita serem mais eficientes para você.
Em todo caso, quando decidir parar de fumar, vá ao cardiologista para saber como está a sua saúde e conseguir acompanhar a recuperação do seu organismo ao longo do processo. Essa já é a primeira dica, pois quando observa em números e gráficos todas as melhorias, acaba se sentindo mais motivado a superar as dificuldades e manter-se longe do cigarro.

1. Chicletes e pastilhas

Os chicletes e pastilhas de nicotina funcionam como uma terapia de reposição. Quando você está com muita abstinência, sentindo fortes efeitos colaterais, pode mascar o chiclete ou chupar a pastilha e eles vão liberando nicotina gradualmente no seu organismo, em uma quantidade equilibrada para o seu tratamento.
É importante ir ao médico para que ele recomende os chicletes ou as pastilhas, pois ele precisa explicar como usar do jeito certo e não são todas as pessoas que podem usar esses métodos.

2. Adesivos de nicotina

O adesivo é usado pela pessoa em fase de abandono do vício durante 24 horas do dia. Esse é um tratamento que costuma durar de 45 a 90 dias, na dosagem proporcional à quantidade de cigarros que a pessoa fumava. Por isso também é necessário ter a receita médica para usar.

3. Medicação

O medicamento antidepressivo Bupropiona também pode ser usado para o tratamento do tabagismo, sempre com receita médica após avaliação da necessidade do paciente. O método de tratamento começa uma semana antes de começarem os sintomas da abstinência, pois a ideia é reduzir o desejo de fumar.
A medicação é via oral e age no sistema nervoso central. A pessoa não pode fumar enquanto estiver usando o medicamento, mas podem ser feitas terapias de reposição paralelamente. Também é importante saber que é normal ter efeitos colaterais, tais com agitação, insônia, dor de cabeça e boca seca, por algum tempo.

4. Parada gradual

Para algumas pessoas, decidir parar de forma gradual funciona bem, mesmo sem nenhum tipo de terapia ajudando. Basta se planejar para ir reduzindo a quantidade de cigarros por dia e ser fiel ao seu próprio plano. Esse é o tipo de estratégia que funciona com pessoas realmente comprometidas com seus objetivos de vida, que não desistem, não importa o que aconteça.
Também é importante determinar um prazo para parar de vez, que costuma ser de duas semanas, ou pode acabar acostumando com esse adiamento e nunca parar de uma vez por todas. Se for necessário, o acompanhamento médico ou psicológico ajuda bastante a manter-se na linha.

5. Parada abrupta

Já para outras pessoas, o que funciona mesmo é escolher uma data e largar o vício da noite para o dia. Essa data deve ser próxima e é interessante se preparar psicologicamente até o dia chegar. Para esses casos também é muito bom ter o acompanhamento psicológico, pois o terapeuta vai manter a pessoa consciente da importância de cada passo dado e cada dia vencido sem o cigarro.

6. Comece a fazer terapia

A terapia com um psicólogo é vista com preconceito por muitas pessoas. Porém, se você tem dificuldade em parar de fumar, já tentou e não conseguiu, precisa entender que um tratamento eficaz consiste em tratar aspectos físicos (como a abstinência), psicológicos (como o vínculo entre o cigarro e suas emoções) e comportamentais (que envolvem os momentos escolhidos para fumar).

Nenhum comentário